Torta Capixaba

Ingredientes:
(Para 8 pessoas)
18 caranguejos
18 siris
2 pratos (fundos) de ostras
2 pratos (fundos) de sururu
2 kg de peixe fresco e de primeira (badejo)
1 kg de camarões (pequenos) frescos sem casca
2 dúzias de ovos
3 latas de palmito em conserva (ou 12 palmitos naturais)
2 lagostas
10 maços de coentro
2 cabeças de alho
5 cebolas
1 kg de tomate
Pimenta malagueta
Pimenta-do-reino
Sal
Azeite
Óleo
Urucum
12 limões
Azeitonas verdes

Confecção:
Ferva os caranguejos, siris, ostras e lagostas em água e sal.

Limpe, desfie e reserve.

Frite o urucum em 1/2 lata de óleo.

Corte um maço de coentro, 4 dentes de alho, 3 rodelas de cebola, 2 pimentas malaguetas e junte com uma pitada de sal.

Soque tudo e faça um refogado com 4 colheres de sopa de urucum. Junte em seguida os camarões e corte o outro maço de coentro, mais 3 rodelas de cebola, esprema o suco de meio limão, coloque um pouco de azeite e um tomate picado.

Deixe ferver e quando estiver vermelho e macio, escorra e guarde à parte.

Proceda da mesma forma com as ostras, os sururus e o peixe, que após ferventados com sal são desfiados e sofrem o mesmo processo do camarão.

Faça um refogado para cada tipo de marisco.

Escorra muito bem os mariscos refogados e, se preciso, esprema com as mãos para que fiquem bem secos.

Junte as ostras, os sururus e o peixe, bem misturados, em uma panela fora do fogo.

Coloque nesta etapa as azeitonas.

Faça um novo refogado, como foi feito com os camarões e demais ingredientes, apenas dobrando os temperos. Use pouco urucum para não encharcar. Deixe tudo ferver por 5 minutos e ponha as ostras, os sururus e o peixe nesse refogado, deixando em fogo brando e mexendo sempre.

Verifique se o sal, o azeite e o limão estão "no ponto" (paladar). Adicione o palmito, que se for em conserva deve ser cortado em rodelas e espremido com as mãos.

Misture até o refogado ficar bem seco.

Bata 8 a 10 claras em neve, depois adicione as gemas e misture tudo. Quando o refogado estiver seco, apague o fogo.

Acabamento:
Unte bem a frigideira de barro (equipamento obrigatório para esta iguaria, fabricado e tradicionalmente usado na capital - Vitória - do Estado do Espírito Santo) com óleo e vá colocando nela o refogado, que recebe por cima os desfiados de caranguejos, siris e lagostas.

Bata novamente de 8 a 10 claras em neve, adicionando as gemas e cubra o refogado.

Corte rodelas de cebolas grandes e grossas e arrume por cima, colocando uma azeitona no meio de cada rodela.

Corte também rodelas de 3 a 4 ovos cozidos, à parte, e disponha sobre o refogado.

Leve ao forno quente por mais de 40 minutos ou até que o ovo que cobre a panela fique bem seco.

Sirva com arroz branco.

Use molho de pimenta malagueta socada com suco de 1 limão.

Para não esquecer:
Esta "iguaria inventada pelos deuses do Olimpo, quando em estada nesta Ilha do Mel em um verão tórrido qualquer" para ser mais que perfeita a sua degustação, necessita - de maneira vital - estar rodeada de um azul de céu ímpar, como o de Vitória/ES/Brasil, de raios de um sol que "lambe" para o bronzeamento - na medida certa - a pele das gentes capixaba nos meses de dezembro, janeiro, fevereiro e março e, o néctar esquecido, por aqui, pelos citados deuses: a caipirinha; que se procede assim para a feitura:

2 limões
1 copo de cachaça brasileiríssima
1 colher de sopa de açúcar refinado
Lascas a gosto de gelo

O segredo:
Esprema 1 limão no copo de cachaça, junte o açúcar, corte em rodelas, não muito finas, o outro limão.

Com um socador - aqueles para socar alho - amasse profundamente o segundo limão, adicione as lasquinhas de gelo...

Contudo, nada disso estará perfeito se, ao redor, como que para compor esta aquarela, não se fizer presente uma sonora batucada ou um afinadíssimo grupo de pagode...Daí, então...quem tiver juízo, avisa lá que, pela noite adentro, o almoço acontecerá em grande estilo!!!